Home / Humor / Capivara Sorrindo Com Fotos Engraçadas E Fofas

Capivara Sorrindo Com Fotos Engraçadas E Fofas

Quem gosta de passar o tempo livre vendo vídeos e fotos de animais fofos certamente já se deparou com algum registro de um animal sorrindo. Geralmente estes animais são os mais comuns entre a convivência das pessoas, como os famigerados cães e os felinos. Mas e se de repente você se deparasse com uma capivara sorrindo? Sim, isto não é tão incomum quanto possa parecer.

Capivara Sorrindo Por que Seria Diferente?

Animais mais passíveis de convivência humana como porcos, bois, vacas, galinhas, galos e por aí vai com uma lista infinita também podem ter este tipo de comportamento fofo. Afinal, o que não é incomum entre os animais é sua docilidade seja ele de qual espécie for.

Há até quem escolha a capivara como animal de estimação para ter como companheiro ao invés dos animais mais habituais de se ter como pet. Ou no caso, são escolhidos por eles como tutores. Quem já adotou algum animal, sabe como isso é possível, direitos iguais, reciprocidade, além de escolhermos podemos facilmente sermos escolhidos por eles e como dizer não?

Incrível Foto de Uma Capivara Aparentemente Sorrindo
Incrível Foto de Uma Capivara Aparentemente Sorrindo

Mas isso não seria tão estranho se pensássemos que acontece o mesmo com porcos, por exemplo, com uma preferência de ambiente de vivência tão diferente do nosso, que pode chegar até a nos repelir, o chiqueiro, nada que um consenso entre a convivência não resolva. Existe até quem crie estes animais com outros objetivos totalmente opostos, como o abate para o seu consumo ou venda mas acabam pegando amor e não conseguindo abater o animal. Então por qual motivo com a capivara seria diferente? Pertencentes ao mesmo grupo estão os também comuns como escolha de pets os porquinhos da índia, no caso, a capivara só ocuparia um pouco mais de espaço com seu porte de maior roedor do mundo.

Maior Roedor Do Mundo

Comuns como animais de estimação também estão os coelhos, que não estariam tão distantes assim das capivaras, há até quem os confunda por serem roedores pelo seu hábito instintivo em comum de roer os dentes, mas vale esclarecer aqui que apesar da semelhança, não são roedores, são lagomorfos.

Tanto os roedores, que inclui a capivara, quanto os lagomorfos, em que são pertencentes além dos coelhos, as lebres, ambos roem por possuírem dentes incisivos que nunca param de crescer, com tal ato gastam os mesmos, fazendo assim com que estabeleçam um tamanho saudável que não prejudique sua qualidade de vida. No caso das capivaras quando o tamanho ultrapassa o ideal, tende a crescer para a frente, imagina o quão incomodo poderia ser. Ou seja, saudavelmente roendo objetos que devem ser disponibilizados quando domesticados para sua casa não os virar, consequentemente têm o sorriso bonito para nos mostrar, literalmente ou por fotos ou através do seu bem estar.

Capivara Sorrindo De Carne e Osso

Capivara Mostrando os Dentes
Capivara Mostrando os Dentes

Tanto vivendo de forma selvagem na natureza ou domesticada como um animal de estimação um tanto quanto exótico, são dóceis. Único caso em que podem se tornar ocorre quando se sentem ou realmente são ameaçadas por outros animais, o que é natural, afinal até nós que somos considerados os únicos animais racionais, tendemos a ter este tipo de comportamento nesta situação, reagimos para nos defendermos diante de uma ameaça. Outro caso que pode se tornar exceção, muito comum no mundo animal, é quando os machos competem entre si para serem progenitores das fêmeas. No caso da capivara, têm o comportamento hierárquico bem definido, em que um macho mais velho é progenitor do grupo, com cerca de dez a trinta indivíduos, podendo chegar a cem.

Esta hierarquia pode ser mudada de pelo menos três em três anos. Mas há casos em que os machos mais novos não obedecem a regra e podem chegar a competir. Neste caso, o que ajuda a identificação do macho dono do papel hierárquico são glândulas nasais presentes em ambos os sexos que são compatíveis com a sua quantidade de testosterona, ou seja, quanto mais as têm, maiores são as glândulas, mas ainda assim não são visíveis a olho nu, somente liberam um cheiro característico de cada indivíduo.

Quando reproduzem, podem chegar a gerar oito filhotes, mas geralmente geram quatro. São filhotes que já nascem bem desenvolvidos com seus pelos grossos característicos e dentição também muito característica. Os progenitores não são muito presentes na vida dos filhos, mas as mães sim, podendo até chegar a vocalizar para se comunicar com o filhote em caso de ameaça visível, como predação, os protegendo.

Seria Uma Praga?

Quem sabe da informação de que as capivaras podem ser consideradas pragas, pode associar tal fato a sua capacidade de reprodução, mas não é bem assim.

Apesar das mesmas não terem um período anual reprodutivo como a maioria dos animais, mas sim poderem se reproduzir por todo o ano, geralmente acabam se reproduzindo somente uma vez a cada ano, isto porque o seu período de gestação é de cinco meses e de amamentação, de quatro, somando nove meses. Um período um tanto longo para ter a capacidade de tanta reprodução. Mas então porque podem ser consideradas pragas? Pela sua adaptação a ambientes degradados pelo homem, podendo se adaptar a pastagens e canaviais e até a ambientes em que são menos queridas, como em plantações, em que podem as consumir para a infelicidade do agricultor. Também são muito flexíveis, podendo viver normalmente em ambientes que tenham que conviver entre nós, seja eles espaços de lazer ou até mesmo residenciais.

Fora a sua adaptação e flexibilidade, habitam rios, lagos, represas e pântanos e gostam de passar boa parte do seu período diurno nas águas. Tanto que caracteristicamente, é na mesma que costumam acasalar. Curiosamente neste ato, os machos penetram a fêmea por somente três segundos, incrivelmente mais rápido que os citados aqui coelhos, não é mesmo?

Quanto a sua alimentação, são herbívoros, se alimentando a base de plantas terrestres ou aquáticas, tendo instintivamente preferência por plantas mais proteicas, mas são adaptáveis a esta condição também e em épocas de seca, podem chegar a se alimentar das suas próprias fezes como meio de conseguir a proteína necessária para a sua sobrevivência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *