Home / Informações / A Linguagem dos Cães: Como eles se comunicam?

A Linguagem dos Cães: Como eles se comunicam?

É improvável que alguém já tenha visto um cachorro conversando com outro em uma praça, mas nem por isso eles são incomunicáveis. O reino animal é cheio de técnicas de comunicação diferentes das quais os humanos conhecem, tais como o som da baleia, o uivo dos lobos, o coaxar dos sapos e o piar dos pássaros, por exemplo. O cão, melhor amigo do homem, também possui suas maneiras de se interagir tanto com seus donos, como com seus colegas de espécie. Será que é pelo rabo? Pelo latido? Por movimentos? Você confere essas e outras curiosidades a partir de agora, neste artigo.

Linguagem dos Cachorros
Linguagem dos Cachorros

Função

Os motivos dos cães se comunicarem são basicamente os mesmos dos humanos. Eles precisam marcar território, reconhecer outros animais da mesma espécie, saber quais alimentos são bons para o consumo e também identificar qual e quando uma fêmea está no cio para se reproduzir. A partir dessas necessidades, eles desenvolveram vários métodos de comunicação e identificação.

O latido

A maneira mais visível e perceptível de comunicação entre os cães é através de seu latido. E uma curiosidade: ao contrário do que algumas pessoas possam pensar, os animais domesticados latem mais do que os de rua. A explicação é bem simples: os cães latem para poder marcar seus territórios, e como os vira-latas estão em constante movimento, não precisam tanto desse recurso. Os que são adotados e vivem em um canil ou quintal avisam seus donos assim que uma pessoa chega ou quando estão com fome e frio. Dessa forma, cachorros domesticados tendem a latir muito mais do que aqueles que vivem nas ruas. É uma questão de resposta ao meio em que vivem.

Linguagem corporal

Algumas pessoas não suportam os latidos dos cães. E isso seria ainda mais grave se todas as suas comunicações fossem através deles, mas a espécie ainda conta com outros métodos, e um deles é a linguagem corporal. As orelhas baixas representam calmaria e talvez indiquem que o cão está querendo carinho. Quando elas se empinam, significa alerta. O rabo saltitante quer dizer que o animal está recebendo bem a pessoa que vem de encontro com ele. Mostrar os dentes é sinal de raiva e agressividade, portanto, quando isso acontecer, é melhor manter distância, assim como quando eles rosnam. Mas quando o animalzinho deita de barriga para cima e começa a esfregar as costas no chão é como se ele estivesse gritando por carinhos e brincadeiras, e é nessa hora que o dono deve ser o melhor possível. Também representa confiança e conforto. Há também um ato dos cães que virou expressão popular, que é o famoso “rabo entre as pernas”. Essa atitude dos cães quer dizer que eles estão com medo, desconfiados e inseguros.

Um pouco estranho aos humanos

No reino animal, há vários métodos de comunicação encontrados pelas espécies que os humanos veem de uma forma estranha e, às vezes, nojenta. Um bom exemplo disso é quando um cão fareja o traseiro do outro. Quando isso acontece, várias pessoas torcem o nariz ou viram o rosto, mas a verdade é que se trata de um método comum na espécie. Através dessa prática, eles se reconhecem e podem entender várias coisas. O traseiro é onde os cães emitem um cheiro que os torna únicos, fazendo com que outros possam os reconhecer para brincar ou quem sabe até brigar.

Quem manda?

O poder entre os cães também é muito importante. Eles precisam estabelecer uma ordem no meio em que vivem para poder saber, por exemplo, quem se aproximará da fêmea primeiro. Entre outros fatores que determinam esse poder, está o olhar. Quando dois cães se encontram, é natural que eles fiquem se olhando e encarando um ao outro. Segundo veterinários, aquele que abaixar a cabeça primeiro é o mais submisso.

Não precisa ter medo

O uivo de um animal é um som que ficou marcado pelo medo por se tratar, em geral, dos lobos, que são espécies bem agressivas. No entanto, como os cães descendem deles, é natural que às vezes eles também uivem. Trata-se de uma comunicação à distância, e no caso do cachorro, significa que ele está se sentindo sozinho em meio a uma noite de escuridão, por exemplo. Portanto, o uivar de um animal não é tão assustador quanto parece.

Comparação

Segundo especialistas, é tudo uma questão de evolução da espécie e capacidade mental. Estudos comparam chimpanzés com crianças de até dois anos, e comprovam que o QI é parecido. Psicólogos e ambientalistas de todo o mundo já deram demonstrações de que as crianças armazenam palavras e gestos para expressarem suas emoções e vontades, assim como alguns animais. Só que ao invés de palavras, eles usam movimentos ou latidos, como no caso dos cães.

O reino animal, no entanto, possui uma dificuldade em armazenar uma quantidade maior de sons e sentidos, fazendo com que fiquem restritos aos modos de comunicação que são conhecidos (latir, abanar o rabo, uivar e etc.).

Comunicação com os Cachorros
Comunicação com os Cachorros

Ao contrário dos humanos, que evoluem suas capacidades comunicativas, os cães, por exemplo, possuem dificuldade em desenvolver as linguagens de forma mais prática. A conclusão é bem simples e mostra que se trata apenas de uma genética restritiva dos animais. Conclui-se também que há sim um vocabulário vasto entre os animais, mas que nem tão prático e desenvolvido como a linguagem verbal.

Através desses sinais apresentados pelos cães, é possível decifrar alguns de seus sentimentos e tornar a vida deles mais agradável. O ideal é ficar atento aos seus atos e deixá-los brincar sempre que estiverem faceiros e com a barriga para o alto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *