Home / Informações / Animais Estranhos: Fotos e Exemplos

Animais Estranhos: Fotos e Exemplos

A natureza e seus muitos caprichos conseguem surpreender o ser humano de diversas maneiras à medida que esta vai sendo analisada de maneira mais ampla, pois a cada contemplação, um novo detalhe surpreendente. O reino animal talvez seja uma das vertentes mais interessantes da natureza, por se tratar de espécies vivas que apesar de não ser como nós, em alguns traços se assemelham, em outros espantam e surpreendem. O que falaremos agora, é sobre algumas espécies que chamam atenção por algum motivo, confira.

Animais Estranhos
Animais Estranhos

Kakapo 

Essa espécie simpática de papagaio tem entre suas características mais notáveis a de ser incapaz de voar. Ele é bem robusto, podendo chegar aos 60 centímetros e pesar até 4 kg. Suas asas pequenas e atrofiadas servem apenas para ele se equilibrar enquanto circula pelos ramos das árvores e sua plumagem serve bem de camuflagem. Na região do bico, eles possuem penas especiais que são como bigodes sensoriais, permitindo a eles um melhor reconhecimento do ambiente durante a noite. Seu odor intenso também é uma característica marcante, muito agradável ao nariz humano, quem já sentiu o descreve como uma mistura de mel e flores. Quando ele está em apuros, reage ficando paralisado, esperando que sua camuflagem o projeta dos predadores, costuma funcionar com aves sem olfato, mas não com mamíferos de nariz apurado.

Társio 

Társios são bem peculiares, eles conseguem se locomover de forma extremamente rápida devido a seus dedos que fazem parte de réplicas quase exatas de uma mão humana e sua cauda longa. Eles podem girar a cabeça 180 graus e ainda podem se gabar de serem os únicos primatas que se comunicam em ultrassom.

Coelho Angorá 

Um animal silencioso e bem discreto, na verdade não em todos os casos, já que alguns deles podem lembrar um gato que levou um choque, uma bola de algodão com rosto, uma ovelha de chapinha e muitas outras metáforas. Os especialistas o descrevem como resultado de centenas de anos de criação doméstica até que seu pelo ficasse como você viu acima na foto, havendo muitas raças deste mesmo coelho, que era muito comum entre a realeza francesa.

Olm (Salamandra da Caverna)

Essa criatura notável encontrada apenas em cavernas subaquáticas de rios e lagos do sul da Europa tem algumas características notáveis e talvez a maior delas seja poder sobreviver até dez anos sem comida. Além disso, é cega e passa sua vida na escuridão das cavernas submarinas, mas compensa a cegueira por causa de seus olhos indevidamente desenvolvidos com uma audição e olfato incríveis. Ela também não passa por nenhuma transformação notável da fase jovial para a adulta, seus membros são pequenos e finos, tendo apenas três dedos em suas patas dianteiras.

Há quem diga que essa salamandra é capaz de chegar aos cem anos e uma subespécie de coloração escura (proteus-preto) foi avistada, tendo a cabeça mais curta e olhos mais desenvolvidos que o tipo comum.

Tartaruga Mata-Mata 

 A característica mais impressionante dessa tartaruga originária daqui da América do Sul, que vive na região da Amazônia, é sua capacidade de camuflagem. Somado à isso, podemos citar também a cabeça triangular, a carapaça as franjas na cabeça muito parecidas com vermes, nariz pontudo e bem comprido. Sua aparência exótica e exigências modestas para ser mantida em cativeiro a tornam uma espécie muito procurada por zoológicos e criadores amadores.

 Lula Voadora Japonesa 

Essa espécie que foi comprovada recentemente pela ciência, recebeu o nome de Todarodes pacificus e uma das suas características mais impressionantes é a de poder voar por mais de 30 metros no ar quando atira um jato de água de alta pressão que a lança para fora do oceano. Sempre houve muita especulação sobre essa espécie, já que rumores e testemunhas eram constantes, mas ninguém era capaz de esclarecer o que elas realmente faziam. O pesquisador Jun Yamamoto, da Universidade de Hokkaido, foi bem sucedido nessa missão e o que ela faz para dar esse salto, cujo motivo ainda não foi revelado, é uma verdadeira arte, como você pode ver na imagem acima.

Aranha Darwin Bark 

 Ela está longe de ser a maior aranha do mundo, já que costuma medir cerca de 3 centímetros, mas o que chama a atenção nessa aranha é que ela produz uma seda muito mais forte que o kevlar – uma fibra sintética extremamente forte que para você ter noção é usado para fazer coletas à prova de bala – sendo até o momento o material biológico mais forte encontrado na natureza. Misteriosamente, elas conseguem armar suas teias através dos rios, é bem provável que elas façam isso flutuando através da brisa.

Grifo-de-Ruppel 

Esse tipo de abutre é um recordista entre as aves, já que em 1973 registrou a marca de ter voado a 11.300 metros de altitude – para você ter noção de o quanto isso é alto, isso equivale a 2,5 km a mais que a altura do Monte Everest. O que esse abutre estava fazendo ou procurando por lá não se sabe e se você em algum momento se perguntou “como é que alguém foi capaz de registrar algo assim”, nós temos a resposta! O que aconteceu na verdade, foi que a ave colidiu com um avião a essa altura na Costa do Marfim, apesar de fascinante a proeza é bem possível a essa espécie, que costuma subir até 6.000 metros normalmente, mas como esse tipo de ave é capaz de absorver o oxigênio mesmo sob baixa pressão atmosférica, tal feito se torna possível. Outra ave capaz de voar bem alto é o ganso-cabeça-listrada, que tem de atravessar a cordilheira do Himalaia para migrar do sul da Índia para o Tibete, onde deposita seus ovos na primavera.

Há quem diga que já avistou a ave passando pelo Everest a quase 9.000 metros do nível do mar, mas de acordo com o diretor da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP, Enrico Lippi Ortolani, a maior altitude comprovado foi de 8,2 km.

Pyrosome 

Esse ser bizarro que se assemelha bastante os gigantes e cruéis monstros marinhos da ficção científica possui um intrigante e também bizarro segredo: ele não é um bicho, mas sim vários. Na verdade, uma colônia de tunicados que vivem colados uns nos outros, compartilhando tecidos e tudo mais. Tunicados se alimentam filtrando a água do mar, ou seja, apesar de haver registros de alguns tipos gigantes desse bicho – que poderiam facilmente engolir um humano por causa de sua estrutura – eles jamais fariam isso. Cada indivíduo dessa colônia tem a interessante capacidade de se clonar e já elaborar a sua própria, havendo inclusive grupos com centímetros de comprimento. Uma de suas características é que ele é bem macio, mais um motivo para não ter medo caso você encontre um desses por aí, o que também é pouco provável já que ele é peça rara e como todo animal marinho lendário que se preze, ele brilha no escuro.

Espécies Invasoras

Quando criadores, agricultores e até mesmo pessoas comuns introduzem vegetais ou animais típicos dum lugar noutra região eles estão cometendo um erro que vem acontecendo desde o tempo das grandes navegações. As espécies introduzidas acabam virando pragas, por não terem predadores naturais e com isso podem ameaçar o equilíbrio ecológico de onde foram inseridas. As espécies invasoras são hoje a segunda maior ameaça à biodiversidade, como afirma a engenheira florestal Silvia Renate Ziller, diretora-executiva do Instituto Horus de Desenvolvimento e Conservação Ambiental. Capturar um casal de passarinhos num lugar e soltá-los em outro, por exemplo, já pode representar um grande problema ecológico.

Espécies Invasoras
Espécies Invasoras

O caranguejo-rei é um bom exemplo disso, introduzido na década de 60 no mar de Barents, perto da Noruega por cientistas soviéticos, na intenção dele servir de alimento aos habitantes que colonizavam a região, esse “monstro” que pode pesar até 12 quilos e medir 1,5 metro de uma ponta da pata à outra se tornou imbatível, dizimando ovas de peixe como o bacalhau, algas, redes de pescadores e ouriços, sendo encarados apenas por peixes gigantes como o halibute.

Pelo fato de sua carne ser muito apreciada em toda a Escandinávia, a Noruega ficou décadas sem tomar providências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *