Home / Informações / Espécies De Cabras E Tipos De Caprinos

Espécies De Cabras E Tipos De Caprinos

As cabras são diversificadas em mais de trezentas raças que habitam o mundo todo em grande população entre bandos. Sua diversidade pode as diferenciar entre formatos e tamanhos de chifres ou cornos, a maioria têm somente dois, mas há registro de caprinos com oito chifres, presença de barba ou não tanto em machos ou bodes quanto em fêmeas ou cabras, distinção na quantidade de tetas, geralmente as fêmeas possuem duas enquanto os machos quatro, o que é um tanto contraditório já que obviamente são as fêmeas que amamentam quando reproduzem, mas se distinguindo da maioria das raças algumas fêmeas podem chegar a ter oito tetas, o que não é tão relevante assim pois por reprodução geralmente dão a luz a somente dois ou três filhotes, outras diferenças são seus variados portes, como exemplo temos uma das maiores raças de caprinos, a boer e uma das menores, a pigmeu africano que se comparadas claramente se distinguem muito.

Justamente pelo seu porte, a raça boer é uma das ideais para a produção de carne, pele ou couro, quando o assunto é a criação de caprinos, a caprinocultura.

Diversidade E Características Em Comum

Por outro lado também têm características em comum independente de suas raças, como a presença de somente dois dedos em suas patas e sua pupila diferenciada da de outros animais por ser horizontal quando falamos no seu físico. Quando o assunto é a sua fisiologia, são ruminantes, ou seja, têm quatro divisões no estômago para a sua digestão, o rúmen, o retículo, o omaso e o abomaso, o que os permitem comer vegetais muito indigestos para outros animais com o sistema digestivo mais comum, como o cupim, por exemplo. Ainda sobre a sua alimentação, são herbívoros, se alimentando de tudo quanto é tipo de vegetal, tendo preferência especialmente por arbustos e ervas daninhas, especialmente quando se tratam de espécies selvagens.

Caprinos E A Caprinocultura No Brasil

Assim como há raças ideais para a produção de carne, também existem para a produção de leite. Algumas raças são mais leiteiras comparadas a outras, como é o caso da raça canindé quando falamos dos caprinos brasileiros. Ainda sobre eles, são todos de origem nordestina, no total somam seis raças diferentes, além da canindé, elas são a mocotó, a marota, a repartida, a Gurgueia, e a srd, abreviação de sem raça definida, portanto não seria exatamente uma raça, mas uma consequência de cruzamentos entre raças distintas.
A Gurgueia tem esta nomeação pela região de onde é oriunda, o Vale da Gurgueia, no Piauí. Destas somente a mocotó é reconhecida formalmente como raça de caprino, mas tanto ela quanto as outras estão sofrendo ameaça de extinção pela falta de preservação. Isto acontece porque muitos caprinocultores criam seus caprinos sem conhecimento sobre a preservação de suas raças.

Possivelmente por este mesmo motivo a maioria dos caprinos no Brasil, por exemplo, são sem raça definida. Assim como o Nordeste é dono da origem das seis raças de caprinos brasileiros, também é a região que mais há caprinocultores, cerca de noventa porcento da população de todo o país justamente por este motivo ou não. Nesta região onde se encontram a maior porcentagem de desempregados em tempos de desalento, esta acaba sendo uma forma de renda e sobrevivência para o pequeno produtor rural. Mas assim como a população de caprinos não é só presente no Brasil, a caprinocultura também não, ela é uma das criações mais antigas do mundo todo e atualmente o leite de cabra está entre os mais consumidos, o primeiro claro é o da vaca.

A Caprinocultura E A Criação De Outros Animais

Apesar de estarem na mesma família, a de nomeação bovidae, a criação de caprinos nem se compara a de bovinos em questão de facilidade. Além de estarem na sua mesma família estes animais que culturalmente produzem os mesmos produtos, também estão os búfalos na mesma condição. Sua subfamília onde se encontram de forma mais específica, é a caprinae, onde também são pertencentes os ovinos, que também estão na mesma condição de produzir os mesmos produtos culturalmente e mundialmente, a diferença seria a produção de lã concedida somente pelos ovinos, mas curiosamente há uma espécie específica de caprino que também têm esta capacidade, ela é a angorá.

Os caprinos podem ser facilmente confundidos com os ovinos pelas suas semelhanças, até mesmo pelas suas nomeações quando ainda são filhotes, no caso do primeiro, seria cabrito, enquanto do segundo, carneiros. Além da domesticação de caprinos ter a finalidade de produção de leite, carne, couro ou no caso da raça angorá lã, culturalmente em alguns países algumas pessoas os criam como animais de estimação por terem a capacidade de se vincularem a seres humanos como qualquer outro tipo de animal. No Brasil essa cultura é mais incomum apesar de existir, como é o caso de quem os criam para produção mas acaba se apegando, todavia em regiões como a Europa e América do Norte este já se tornou um hábito mais comum.

Os Caprinos Selvagens

Caprino Selvagem - Ibex
Caprino Selvagem – Ibex

Mas fora a sua domesticação independente da forma, podemos nos esquecer que tais raças domésticas são todas descendentes das cabras selvagens. Na natureza são habitantes de montanhas e tem a habilidade de pular, escalar, além de uma impressionante capacidade de se manter em equilíbrio em montanhas íngremes. Desta forma, naturalmente acabam se protegendo de seus predadores, que são animais como ursos, lobos e águias. Outra forma de se defenderem é com o que mais os caracterizam, seus chifres, desta mesma forma os machos competem entre si para o papel de progenitor em períodos reprodutivos ou demarcam território, como forma de garantir a sua alimentação ou impor hierarquia, como é o caso de machos adultos diante de machos filhotes.

Quanto a sua reprodução, atingem a maturidade sexual com a variação de três meses a até um ano de vida, quando reproduzem a gestação dura cerca de cinco meses e desmamam em média pelo mesmo período, os filhotes de raças maiores atingem a maturidade física com cerca de três anos de vida, enquanto os menores com cerca de um a dois. Sua expectativa de vida é de quinze a dezoito anos, mas há registro de caprinos que chegaram a viver até vinte e quatro anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *